Dia 1 de dezembro é a data marcada para mais uma exposição de arte. O protagonista desta vez é o Pedro Pires, jovem angolano que estreia na galeria MOMO em Joanesburgo. Dos motivos que tornam essa exposição imperdível, ressalta-se o título: Doppelganger. Segundo as lendas germânicas de onde tem origem, Doppelganger é um ser mitológico que tem o dom de fazer uma cópia de uma pessoa ou coisa. Nesse contexto, suspeita-se que a exposição terá uma linguagem realista. Porém, o artista torna tudo mais misterioso quando revela que se interessa por banaimaggglidades dos objectos, por isso, reorganiza-os de forma ridícula e absurda, dando, assim, vida aos seus personagens. Questionado a respeito da colecta dos objectos, o autor comenta: “Adoro os contextos de onde vêm os objectos, são todos selecionados a dedo nos seus ambientes. Uns ambientes mais óbvios que os outros, mas estou curioso de ver esse diálogo entre os objectos e o espectador”, conclui.

Essa é o meio que o autor encontrou para falar de identidade, estereótipos e vida quotidiana. O autor enfatiza o poder que vê nos objectos e a proximidade que têm do leitor, o que faz com que haja um elemento de conectividade entre os que observam.

A nós só resta a recomendação à invasão massiva da comunidade angolana, e não só, para assistir essa exposição que tem todos os indícios de que promete.

 

Isis Hembe de Oliveira

Uma pessoa em construção e de poucas identificações. Nascido em Angola, na província do Cuito, contudo se vê como um cidadão do mundo. Introduzido ao mundo das artes, formalmente, pelo hip hop em funções de MC; hoje tem um horizonte de atuação no campo artístico que sai desde interprete de violão clássico/fingerstyle à escrita.

Publicações Relacionadas